Declarações Oficiais

Maus-tratos

Os Adventistas do Sétimo Dia reafirmam a dignidade e o valor de cada ser humano e condenam todas as formas de mau tratamento e violência física, sexual e emocional no seio da família. Reconhecemos a extensão global deste problema e os seus efeitos graves e perduráveis na vida de todos os envolvidos nele. Acreditamos que os cristãos precisam de responder aos maus-tratos e violência familiar, quer no âmbito da igreja quer na comunidade. Preocupamo-nos seriamente com os relatórios de mau tratamento e violência, e temos dado atenção à discussão destes assuntos nesta assembleia internacional. Entendemos que uma atitude de indiferença e passividade corresponde a aceitar, perpetuar e, potencialmente, contribuir para a disseminação deste tipo de comportamentos. Aceitamos a nossa responsabilidade de cooperar com outros serviços profissionais, de escutar e cuidar daqueles que sofrem maus-tratos e violência familiar, de denunciar as injustiças e falar em defesa das vítimas. Ajudaremos as pessoas que necessitem de encontrar e conseguir o acesso aos vários serviços profissionais disponíveis. Quando mudanças de atitudes e de comportamento abrirem possibilidades para o perdão e o recomeço de vida, exerceremos um ministério de reconciliação. Auxiliaremos as famílias que sofrem devido a relações que não podem ser recuperadas. Consideraremos os problemas espirituais com que se confrontam as pessoas atingidas, procurando compreender as origens do mau tratamento e violência familiar, e desenvolvendo melhores métodos para prevenir a repetição deste tipo de ocorrências.

Esta declaração foi aprovada e votada pelo Conselho Administrativo da Conferência Geral dos Adventistas do Sétimo Dia e foi emitida pelo gabinete do presidente, Robert. S. Folkenberg, na sessão da Conferência Geral que teve lugar em Utrecht, Suíça, de 29 de Junho a 8 de Julho de 1995.