Notícias Nacionais

As Sagradas Escrituras são claras e orientam-nos nesse sentido. O desafio é: “Aprendam a fazer o bem, procurem fazer o que é justo, ajudem os oprimidos, protejam os órfãos e defendam os direitos das viúvas” (Isaías 1:17).

Foi com esse espírito e graças à iniciativa da Ana Sofia, jovem recém batizada, que a igreja de Pinhal Novo se mobilizou no dia 23 de abril e chegou à “Casa Sol”, uma instituição que acolhe crianças e jovens vítimas de uma doença herdada por má conduta dos seus pais. Esta instituição acolhe neste momento 14 crianças e jovens, com idades compreendidas entre os 10 e 19 anos de idade. As carências são muitas e tudo aquilo que foi possível levar (alimentos, produtos de higiene, medicamentos, material escolar) certamente será muito bem utilizado. Foi igualmente possível deixar vários livros Enfrentar a Dor e uma Bíblia para uso da instituição. De início não foi fácil vencer a timidez própria de quem, no olhar, deseja muito receber um sorriso e um abraço, pois deste grupo de 14 crianças e jovens só duas recebem a visita dos seus progenitores. As carências não são só materiais mas, acima de tudo, afetivas. Existem igualmente duas jovens com paralisia cerebral que necessitam de cuidados muito específicos. A igreja composta de adultos e jovens passou a tarde nesta instituição, cantando, partilhando histórias bíblicas e um lanche. Foram criados laços de amizade e o desejo que voltássemos foi repetidamente expresso. Foi uma experiência gratificante e vamos certamente voltar, porque a experiência cristã é uma permuta gloriosa de dar e receber. E todos os membros da igreja, ao passarem as portas da “Casa Sol”, podem ouvir na sua consciência as palavras de Jesus: “Em verdade vos digo que, quando o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes” (Mateus 25:40).

Ad7 Notícias | Rogério Fernandes - Pastor da IASD de Pinhal Novo